Socorro! São CÓLICAS!

Falaram-me muito do assunto na maternidade, ensinaram a fazer as famosas massagens, avisaram para ter cuidado com a minha alimentação mas mesmo assim não consegui escapar àquelas temíveis horas de berraria aflita de uma coisinha tão pequenina sem saber o que fazer para ajudar.

Não aconteceu nenhum episódio de cólicas ao meu veggie-baby durante a nossa estadia no hospital mas vi todas as noites as raparigas com que partilhei o quarto, completamente desnorteadas a tentarem as massagens, dar mama, embalarem os seus bebés e nada. Até que chamavam as enfermeiras que com o seu ar de que quem sabe tudo e que traziam a solução no bolso.

E traziam. Vinha num frasquinho cor-de-rosa berrante, do tamanho de um verniz das unhas e chamava-se Aero-Om.

Aparentemente umas gotinhas daquilo acalmava os bebés e passados 5 minutos adormeciam.

Fiquei a pensar no assunto, não me convenceu muito mas lá segui com a minha vida.

Até que um dia, já em casa o meu Coquinho tem um ataque de gritos e como tentei de tudo e não acalmava, lá mandei o pai à farmácia buscar o milagroso Aero-Om.

Por quase 11 euros e umas gotinhas na chucha, o silêncio foi instantâneo. Cinco minutos depois o Coquinho, já exausto, estava a dormir.

warning-147699_960_720.png

Até que li a composição daquilo e resumia-se a sacarose (açúcar), aromatizantes artificiais, “E’s” e outros químicos que não sei escrever o nome.

Perguntei na farmácia se aquilo era mesmo eficaz para as cólicas e a resposta muito tímida da senhora que estava ao balcão foi “não, o Aero-Om é basicamente açúcar. Eles é que ficam distraídos com o sabor doce e acalmam um bocadinho”.

 

Fiquei um bocado enervada com aquilo, afinal tínhamos pago quase 11 euros por uma colher de açúcar e um nome pomposo!

Mesmo tendo cuidado com a minha alimentação, seguiram-se ainda alguns episódios de cólicas e gritaria que deixavam o meu bebé aflito e exausto e eu numa pilha de nervos em pânico.

Decidi então fazer o meu próprio Aero-Om caseiro, sem açúcares refinados nem químicos desnecessários e impronunciáveis, para utilizar SÓ EM CASO DE EMERGÊNCIA.

Misturei então uma colher de sopa de açúcar de côco (rico em ferro, zinco, magnésio e outras vitaminas e com um índice glicémico de 35 em comparação com a sacarose que tem um I.G. de 68), uma pitada de sal dos Himalaias (contém mais de 80 nutrientes e minerais) e duas colheres de sopa de água. Levei tudo ao lume cerca de 1-2 minutos para ferver e caramelizar. Esvaziei um frasco de soro fisiológico novo e meti o meu caramelo lá para dentro. Em caso de muita emergência, lá punha umas gotinhas na chucha para acalmar, muitas massagens, maminha e mimo resolviam o problema.

 

Às tantas alguém me falou no BioGaia, um probiótico que ajuda a regular a flora intestinal para além de reforçar o sistema imunitário. Dois dias depois de começar a tomar, notei uma diferença enorme no bem-estar dele (até começou a dormir melhor) e cólicas nunca mais!

O preço não é muito convidativo (entre os 20-24 euros) mas recomendo vivamente e claro que estes episódios são chatos e desgastantes, mas nada que uma boa dose de mimo e paciência não resolvam.